Rosany Costa

Textos


Cheia de Graça

Rosany Costa


Como a natureza, tem a vida
Um natural vai e vem.
Altos e baixos, entrelaçados
Com muito querer e bem!
Confesso, a calar já aprendi.
Mas fico cá, e com meu eu, em ebulição...
Fujo de tempestades conflituosas
Mas como escapar de meu vulcão?
Se tempestades maltratam, fustigam
Brisas leves, têm algo de benfazejo
Quase que tocam, acarinham...
Às vezes parecem um beijo...
A natureza bem demonstra esta bipolaridade.
Como esperam de mim, natural observadora,
Atitudes equilibradas, equidade?
Sou reles aprendiz! Figurante e amadora...
Não me falem: pés no chão!
Minha base e essência
É pura emoção.
Penso e volito...
Não me peçam terra.
Sou água, fluo...
Não suporto encerra!
Por amor e crença
Desfraldo bandeira, faço a praça
Como inocente criança
E me sinto cheia de graça!
Porém, não me façam gracejos
Que não estou pra tracejos.

Rosany Costa
© 2006

Imagem: aline_annadieblum



Rosany Costa
Enviado por Rosany Costa em 21/08/2007
Alterado em 04/06/2011

Música: Feelings - Zamfir

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras